Nutrição Enteral

A Nutrição Enteral ou alimentação por sonda, se faz necessária quando o indivíduo não consegue ou perde a capacidade de deglutir e se alimentar pela via oral (boca). Também é indicada quando a quantidade de alimentos que a pessoa consegue ingerir não é suficiente para suprir suas necessidades nutricionais diárias.

Exemplo de patologias e situações em que a Nutrição Enteral é bastante utilizada: AVC (Acidente vascular cerebral), Mal de Alzhaimer, Traumatismo Craniano, estágios avançados de pacientes com ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica), diversos tipos de câncer (câncer cabeça e pescoço , pâncreas, pulmão, etc), entre outras.

Quando o indivíduo necessita de nutrição enteral, a alimentação (que terá de ser na forma líquida), deverá ser administrada através de uma sonda. Essa sonda poderá ser nasoenteral/nasogástrica (neste caso é introduzida uma sonda no nariz do paciente, e esta irá ficar posicionada no estômago ou intestino). Ou o indivíduo poderá também ter um estoma, que é um orifício localizado na região abdominal onde a sonda vai diretamente no estômago (gastrostomia) ou diretamente no intestino (jejunostomia). Esse tipo de sonda é bastante utilizada quando a pessoa vai utilizar a nutrição enteral por tempo prolongado.

A nutrição enteral ou dieta enteral industrializada é uma formulação nutricionalmente completa e balanceada, desenvolvida para suprir as necessidades nutricionais dos pacientes que se alimentam por sonda. Ela pode ser encontrada já pronta na forma líquida ou em pó (nesse caso a dieta deverá ser diluída em água filtrada conforme orientação do fabricante).